Quase 365 dias, sem mim

Quase lá
O tempo não passou, "avoou"
E o tempo reflete o que sou,
O vaziou e o nada onde estou

Não me sinto dona de mim
Tão pouco a fim do que tenho hoje
Não sei pra onde ir
Mas se fico aqui é o mesmo que o fim

Me leve, ó tempo
Para o rumo dos sonhos
O vento da liberdade, bem dentro de mim
Não tenho mais 365 dias para me esconder
Quero ser eu, ainda que isso me doa.

0 comentários:

Postar um comentário

Ana Laurentino. Tecnologia do Blogger.