Se aconchegue

Em noites quaisquer, com flores em punho,
espera seu macho chegar.

De corpo perfumado, pouca roupa por tirar.
Não sei cozinhar, mas não vou deixá-lo com fome.
Posso ser sua janta e sobremesa,
Se você me achar saborosa o bastante.
Me coma devagar, outras horas, freneticamente.
Se ponha em minha pernas, eu não preciso de sela.

Arrancarei toda sua perversão,
Os seus hormônios já me conquistaram.
Me escravise pelos ouvidos, suspire os seus desejos.
Minha boca desvenda seus mistérios, seus pelos, musculos
e pontos fracos.

A música toca em nosso ritmo.
Rebole mais um pouco, estou quase lá.
E você está aqui, dentro.
Me incendeia, me compre com seu prazer.

Toda noite dance pra mim,
em seguida acasalaremos.
Faça dos meus seios almofadas,
quero me aquecer em você.
Chegue mais perto, vou seguir os meus instintos.
Meu macho alfa.



(Ana Laurentino)

0 comentários:

Postar um comentário

Ana Laurentino. Tecnologia do Blogger.