Dor de Amor

Não há dor de pulsos cortados,
não há amor de pulsos cortados.
A beleza da vida se esvai, agarradas ao amor e a dor.
Se a beleza não fosse maior que a dor, que vem junto com o amor,
talvez de pulsos cortados eu estivesse agora.
Mas a vida não me permite, o corte que estagna a dor, cessa também o amor.
Não, isso não me convém.

0 comentários:

Postar um comentário

Ana Laurentino. Tecnologia do Blogger.