Quando o sonho acaba

Uma porção de sentimentos aleatórios
Uma multidão com uma eloquente oratória

Incessantemente gritam por algo que não vem,
o socorro inexiste
É uma nação perdida
Seu rumo foi roubado, seus sonhos extirpados

Quem os protegerá ?
Só restarão lágrimas sobre sangue
Um choro, em coro, eterno.

3 comentários:

Postar um comentário

Ana Laurentino. Tecnologia do Blogger.