Traga-me cores

Sinceramente,

vou deixar a alegria me consumir. Não haverá espaços para as construções depressivas da minha mente, nem tão pouco de mentes alheias. Sairei das sombras, das quais construí e sob as quais por muitos anos vivi. Nego, tudo que me condena a dor e rejeito qualquer qualquer tipo de submissão da minha estima. Vou prezar pelos meus anseios, sem me esquecer dos do próximo que são inerentes aos meus. A felicidade é voluntária, mas não solitária.

Pintei meu mundo a cores, trouxe flores para todo dia regar. Junto as cores e flores, trouxe amores, para que a minha alegria possa amar, se entregar. Compilei a minha felicidade. Não pude mais esperar, mas se vier, se pinte e traga-me mais cores,

sinceramente.

4 comentários:

Postar um comentário

Ana Laurentino. Tecnologia do Blogger.